ITAJAÍ
(47) 3045.3322
WhatsApp
(47)99602.6466
LiveZilla Live Chat Software
Facebook

Anestesia

aparelhoA anestesia moderna, devido aos avanços tecnológicos, segurança dos agentes anestésicos, treinamento dos anestesistas e correto preparo do paciente, deve proporcionar o máximo de conforto e principalmente segurança.

Em Cirurgia Plástica, em virtude da maioria das cirurgias serem programadas, é inadmissível qualquer tipo de risco ou desconforto cirúrgico secundário a preparo inadequado do paciente ou falta de infra-estrutura. Por este motivo é sempre mais prudente realizar as cirurgias em hospitais que propiciem infra-estrutura de suporte adequada (equipamentos, UTI, etc) para casos em que haja necessidade.

O tipo de anestesia a ser realizado decorre do porte da cirurgia e das condições gerais do paciente. Podem ser: Local, Local com Sedação, Bloqueios Medulares (Raquidiana ou Peridural) e Geral.

A ANESTESIA LOCAL é utilizada para cirurgias de menor porte, sendo a solução anestésica infiltrada no local ou próxima ao local da cirurgia, inibindo os nervos responsáveis pela sensibilidade a dor da referida região.

SEDAÇÃO é uma técnica anestésica na qual medicações específicas são ministradas via endovenosa, com a finalidade de tranqüilizar o paciente, trazendo os seguintes benefícios: redução da ansiedade, controle da pressão arterial, redução do sangramento, analgesia, controle do vômito, conforto intra-operatório, ausência de depressão respiratória, manutenção dos reflexos protetores, diminuição dos riscos cirúrgicos.

 

No BLOQUEIO PERIDURAL e RAQUIMEDULAR os agentes anestésicos atuam nas raízes nervosas próximas à medula espinhal, bloqueando a dor nas áreas a serem operadas. São utilizadas geralmente para cirurgias no abdome (Abdominoplastia, Lipoaspiração) e membros inferiores (Dermolipectomia de Coxas, Lipoaspiração, etc). Geralmente está associada a sedação, para maior conforto do paciente.

perid

A ANESTESIA GERAL, difamada e temida injustamente, deve a sua má fama a tempos anteriores, quando a tecnologia e os medicamentos eram menos desenvolvidos, causando grande desconforto no pós-operatório.

Medos infundados de morte por “choque anafilático” durante a anestesia são resultado de informações distorcidas, pois para situações reais de anafilaxia grave (reação alérgica aguda e intensa) uma parte do tratamento consiste em medidas de suporte muito semelhantes a uma anestesia geral. Por isso a importância de infra-estrutura adequada.

Portanto, ao se programar uma cirurgia é fundamental realizar uma avaliação pré-operatória detalhada, com exames complementares e avaliação de especialistas quando necessário, para poder então, optar pelo melhor tipo de anestesia, ou seja , aquela que ofereça ao paciente a melhor relação custo-benefício.

 

DÚVIDAS MAIS FREQUENTES

 

01. O QUE É ANESTESIA?
Anestesia é o estado de total ausência de dor durante uma operação, um exame diagnóstico, um curativo etc. Ela pode ser GERAL, isto é, para o corpo todo; ou PARCIAL, também chamada REGIONAL, quando apenas uma região do corpo é anestesiada. Sob o efeito de uma anestesia geral, você ficará dormindo; já numa anestesia regional você poderá ficar dormindo ou acordado, conforme a conveniência do caso. Em ambas as situações, o ANESTESIOLOGISTA OU ANESTESISTA vigiará as funções de seus órgãos vitais, durante o tempo que se fizer necessário, e providenciará para que seu organismo reaja com segurança a um exame ou a uma cirurgia.

02. QUANTO TEMPO DURA UMA ANESTESIA?
A Anestesia Geral ou Regional dura o tempo necessário para que seja realizado o exame ou a operação, oferecendo ainda abolição da dor por tempo variável após o procedimento, na dependência do anestésico empregado. Atualmente o anestesiologista dispõe de conhecimentos para abolir toda a sua dor no pós-operatório.

03. QUEM APLICA A ANESTESIA?
A Anestesia Geral ou Regional é aplicada por MÉDICOS COM CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DE, NO MINIMO, DOIS ANOS EM ANESTESIOLOGIA, em Centros de Ensino e Treinamento credenciados pela Sociedade Brasileira de Anestesiologia. Estes médicos não só aplicam a anestesia, como também cuidam de você (do seu coração, dos pulmões, dos rins etc.) durante toda a operação até que você desperte completamente da Anestesia. Além disso, você só voltará para o quarto quando houver certeza absoluta de que não haverá risco de vida ou acidentes, quer você tenha quer não tenha acompanhantes.
O seu Anestesiologista estará ao seu lado, durante todo o tempo da cirurgia, exclusivamente para cuidar de você, mesmo que você não perceba ou não se recorde depois de terminada a anestesia.
A Sociedade Brasileira de Anestesiologia programa a realização de um Congresso anual, de várias Jornadas Regionais e cursos para constante atualização dos anestesiologistas. Também é ela que concede o TÍTULO SUPERIOR EM ANESTESIOLOGIA a quem, espontaneamente, se submeter a uma avaliação através de provas escrita e oral, sobre a Anestesia, após o término da residência.

04. O QUE FAZ O ANESTESISTA?
É o Médico Anestesiologista ou Anestesista quem vigia seu organismo e o mantém funcionando equilibrado, controlando sua Pressão Arterial, Pulso, Ritmo Cardíaco, Respiração, Temperatura Corporal e outras funções orgânicas importantíssimas para o sucesso da cirurgia. Assim, o Médico Anestesiologista é o verdadeiro guardião de sua vida durante e logo após uma operação ou exame sob anestesia.

05. QUE TIPOS DE ANESTÉSICOS SÃO USADOS?
Existem diversos tipos de anestésicos gerais e locais. Todos proporcionam anestesias adequadas. A escolha do anestésico variará com o tipo de cirurgia, sua duração prevista e as condições físicas e emocionais do paciente. No caso de uma Anestesia Regional, você receberá uma injeção em alguma parte do corpo e, além disso, uma veia será puncionada previamente para administrar soro e outros medicamentos. No caso de Anestesia Geral, que fará você dormir, um anestésico será injetado junto com o soro na veia ou você respirará um gás através de uma máscara, o que também produzirá sono profundo. Em qualquer tipo de Anestesia, você terá sempre um soro ligado numa veia.
Depois de conhecer você, seus exames pré-operatórios, a cirurgia proposta, o anestesiologista, usando seus conhecimentos, escolherá o melhor anestésico para o seu caso em particular.

06. QUEM ESCLARECE VOCÊ SOBRE A ANESTESIA?
Você deve conversar sobre a Anestesia com o Médico que vem lhe tratando. Porém, somente durante a VISITA DO ANESTESIOLOGISTA é que todos os esclarecimentos poderão ser detalhados, chegando-se a uma decisão final sobre a melhor Anestesia para o SEU CASO. Você deve tomar cuidado com informações recebidas de leigos ou pessoas não-especializadas, pois muita fantasia e desinformação existem sobre a Anestesia.

07. QUEM ESCOLHE O ANESTESISTA?
Você tem o direito de escolher o seu Anestesiologista ou Anestesista, da melhor forma como teve o direito de escolher o seu cirurgião ou o seu médico assistente. Normalmente, porém, o seu cirurgião já trabalha com Anestesistas que o atendem normalmente, 24 horas por dia, constituído por médicos especializados em ANESTESIOLOGIA.
O dia, o horário e o local para realização de sua cirurgia serão decididos entre você e o seu cirurgião, que, posteriormente, comunicará ao Anestesiologista a sua operação.

08. O QUE ACONTECE ANTES DA OPERAÇÃO?
Geralmente, antes da operação, são realizados alguns exames de laboratório ou de Raios X. Caso deseje, você fará previamente uma consulta com o médico anestesiologista que conversará, fará perguntas, realizará exames, e verificará seus exames laboratoriais. É fundamental que você responda a todas as perguntas e relate tudo que considerar importante para informação do Anestesiologista.
No Hospital você, no quarto, após conversar com seu anestesiologista caso não tenho feito uma consulta prévia, receberá uma medicação e será então encaminhada ao centro cirúrgico.

09. COMO VOCÊ PODE COLABORAR COM O ANESTESISTA?
Não beba ou coma coisa alguma pelo menos oito horas antes da operação. Diga ao Anestesiologista os nomes de todos os remédios que você toma ou tomou regularmente; em especial enumere aqueles a que você tem ALERGIA. Não use cosméticos ou produtos de beleza no dia da operação, deixe-os em sua casa. Não leve para o hospital e muito menos para a Sala de Operações, jóias pessoais como anéis, pulseiras, relógios de pulso, brincos, como também retire alfinetes, grampos de cabelo, perucas, cílios postiços e outros objetos desnecessários.
Não mastigue chicletes ou goma de mascar antes da cirurgia, porque isto provoca aumento de ar e de sucos no estômago, possibilitando maior incidência de vômitos durante e após a Anestesia.
Não deixe de tomar os medicamentos que faz uso regularmente, a não ser por orientação expressa do seu médico assistente ou do médico anestesiologista.

10. O QUE É A SALA DE RECUPERAÇÃO PÓS-ANESTÉSICA?
Quando termina a cirurgia, o Anestesiologista suspende os anestésicos e inicia-se o processo da recuperação da consciência ou regressão da Anestesia. Isto pode demorar alguns minutos ou algumas horas, dependendo da duração e do tipo da anestesia aplicada. Durante este tempo de recuperação, você estará sob cuidados de pessoal qualificado para evitar complicações e problemas pós-anestésicos. Você irá para uma Sala de Recuperação Pós-anestésica. Somente quando você estiver completamente desperto ou recuperado é que o Anestesiologista dará autorização para que você seja levado a seu quarto.

11. COMO VOCÊ VAI SE SENTIR APÓS A ANESTESIA?
O que vai sentir após a anestesia depende muito da operação, do tipo de anestesia, de suas condições físicas, dos remédios que você está tomando ou tomou, enfim, de múltiplos fatores. Graças às técnicas de Anestesia modernas, apenas um número muito pequeno de pacientes chega a sentir-se mal. O que deverá ser ressaltado é que você, provavelmente, não sentirá nada nem se lembrará de nada. O Anestesiologista zelará para que, dentro do possível, seu melhor conforto seja assegurado.

12. QUAL O RISCO DE UMA ANESTESIA?
São muito raros, atualmente, os acidentes ou complicações de uma Anestesia. Com medicamentos, instrumental e técnicas modernas, o Anestesiologista reduz ao máximo os riscos de acidentes anestésicos, mas é claro que eles nunca chegam a zero, uma vez que há fatores de risco algumas vezes imponderáveis ligados não só à anestesia, como à própria operação, às condições hospitalares etc. De qualquer maneira, o Anestesiologista, além do conhecimento e da especialização médica, emprega toda a sua perícia e experiência clínica para o sucesso completo da operação a que você está se submetendo. Para a maior segurança dos pacientes, os hospitais modernos contam com equipes e equipamentos próprios para emergências e cuidados críticos, o que reduz ainda mais os riscos de acidentes graves incontornáveis.

13. POR QUE A MAIORIA DAS PESSOAS TEM MEDO DE ANESTESIA?
Porque muitas vezes as informações que possuem não foram tão esclarecedoras quanto aquelas que são divulgadas, por exemplo, acerca de viagens aéreas. Tal como os vôos são realizados aos milhares e sem acidentes, também diariamente milhares de anestesias são aplicadas em todo o mundo, com toda a segurança. Por comparação pode-se afirmar que, tal como os perigos das viagens aéreas, os riscos da Anestesia são bastante reduzidos. Ainda comparando, sabemos que os meios de divulgação ampliam os eventos relativos a um acidente aéreo; do mesmo modo, publicam com alguma sensação os casos em que ocorrem acidentes anestésicos. Assim se explica por que muitas pessoas têm medo de viajar de avião. E por que outras receiam submeterem-se a uma Anestesia.
É por isso que você deve exigir que somente Anestesiologista qualificado faça a sua anestesia.

14. COMO EVITAR O MEDO DA ANESTESIA?
O Anestesiologista é o GUARDIÃO DE SUA VIDA durante a operação ou o exame sob Anestesia. Confie nele e na equipe que vai cuidar de você. Lembre-se de que milhares de pessoas confiam suas vidas aos pilotos e comandantes de aeronaves em viagens aéreas por todo o mundo, e da mesma maneira outras tantas milhares confiam nas equipes cirúrgicas que cuidam delas nas Salas de Operações. A sua confiança é a melhor recompensa para o Anestesiologista.

(47) 3045.3322 - Av. Cel. Marcos Konder, 1207 - Sala 122 - Centro Empresarial Embraed - Itajaí, SC
Diretor Técnico – Dr. Antonio Marcos Piva – CRM 14563 - RQE 7247