Prótese Mamária - Dúvidas frequentes

01. POR QUE AS MULHERES DESEJAM COLOCAR PRÓTESES DE SILICONE NAS MAMAS?

Nos dias de hoje a “mídia” é um fator influenciador na nossa vida. A televisão, a moda, as novelas, o cinema, os formadores de opinião como artistas, etc, a idéia da juventude eterna e a mudança dos parâmetros de beleza são meios pelos quais nós somos atingidos à procura do bem-estar, de ser notado e da tão desejada felicidade. Este fator é preponderante na decisão por parte das mulheres atuais em colocar próteses de silicone nas mamas; mesmo que os medos existam.
Em nossa experiência nos últimos catorze anos, observamos que o aumento do número de candidatas a esta cirurgia está associada à maior deliberação e independência da mulher que tem coragem e o poder de assumir e decidir por si própria o que fazer do seu corpo. Escutamos muito após a cirurgia o seguinte: “um sonho que só agora se realizou”, independente de pai, marido, namorado ou qualquer outra mulher. Faz parte do nosso cotidiano clínico, histórias de descontentamento pessoal em mulheres cujas mamas não se desenvolveram ou são muito pequenas; o que lhes causam sempre constrangimento às vezes pseudamente resolvido com o sutiã de enchimento. Outro grupo de candidatas é aquele no qual as mamas sofreram redução de volume e queda após a amamentação, deixando comprometida a sensualidade e auto-estima. As mulheres, em geral, acham as suas mamas lindas durante o período da gravidez; sabe-se que nesta fase as mamas aumentam de tamanho com o objetivo da lactação.
Existem ainda aquelas pacientes que são atormentadas com o diagnóstico precoce ou não de câncer de mama. De acordo com cada caso, podemos recorrer ao uso das próteses de silicone para restaurar o dano causado pela retirada daquela lesão.
Procuramos sempre avaliar o perfil psicológico da candidata à prótese de silicone nas mamas, aparando sempre as arestas dos exageros e modismos baratos.

 

perguntas-crop02. MINHAS CICATRIZES FICARÃO VISÍVEIS? IRÃO DESAPARECER?

Como qualquer procedimento cirúrgico, você irá apresentar cicatrizes. Existem técnicas em que conseguimos torná-las pouco perceptíveis pela sua localização e tamanho reduzido. Porém, nunca desaparecerão por completo.

 

 

03. QUAL O TAMANHO FINAL DESTA CICATRIZ?

 

Normalmente entre 4 e 5 cm, que é o tamanho necessário para a introdução da prótese.

 

04. AS CICATRIZES PODEM SER POSICIONADAS AONDE?

Em 3 lugares. No sulco formado entre a mama e o tórax (na parte inferior da mama), na área ao redor da aréola e na axila. A escolha irá ser decidida em consulta comigo a depender de seu caso e preferência.

Após o exame físico da paciente e uma vez entendido seu biótipo e seu desejo de volume, partimos para a explicação do tipo de cicatriz necessária para colocar as próteses. Existem os seguintes acessos: peri-areolar (uma incisão semicircular em volta do complexo aréolomamilar na sua metade inferior), inframamária (uma pequena incisão feita no meio do sulco mamário) e o axilar (uma incisão curva na região axilar). Na grande maioria dos casos a opção é pelo acesso infra-mamário, principalmente nos casos em que o complexo aréolomamilar for muito pequeno. O acesso axilar é mais complexo e mais sujeito a riscos e complicações.

Quando há excesso de pele (mamas caídas), as cicatrizes serão maiores, podendo ser extensas, em forma de L ou T invertido. A escolha dependerá de cada caso e será discutida com você paciente. Desde os primeiros dias de pós-operatórios poderá ser usado um "decote bastante generoso", pois, as cicatrizes ficam bastante disfarçadas. Com o decorrer do tempo, as cicatrizes vão ficando menos visíveis.

 

05. EM QUE POSIÇÕES A PRÓTESE PODE SER POSICIONADA?

As próteses poderão ser colocadas atrás da glândula mamária, abaixo do músculo peitoral maior ou atrás da fáscia (tecido fibroso sobre o músculo) do músculo peitoral maior.

 

06. COMO FICARÁ A APARÊNCIA DA CICATRIZ?

As cicatrizes serão permanentes, e vão se modificando com o decorrer do tempo. Cada paciente comporta-se diferentemente de outro, em relação à evolução das cicatrizes, podendo, mesmo, em alguns casos, tornar-se imperceptível.
Alguns pacientes podem apresentar predisposição à cicatrização inestética (cicatriz hipertófica e quelóide). Este fato deverá ser discutido, durante a consulta. Neste momento, avaliaremos possíveis características familiares e pessoais, que podem alterar a evolução das cicatrizes.

 

 

07. A COR DA MINHA PELE PODE INFLUENCIAR NA CICATRIZAÇÃO?

 

Normalmente, indivíduos de pele clara apresentam uma menor tendência que pessoas de pele morena ou descendentes de orientais a desenvolver qualquer tipo de cicatrização inestética, independente do tipo de técnica utilizada

 

 

08. EXISTE TRATAMENTO PARA AS CICATRIZES INESTÉTICAS?

 

Existem muitos tipos de tratamento disponíveis para melhorar as cicatrizes, desde que utilizados cada um na época mais apropriada. A cicatriz hipertrófica ou quelóide, não devem ser confundidas, todavia, com a evolução natural da cicatrização. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução cicatricial deverá ser esclarecida durante seus retornos pós-operatórios, quando se pode fazer a avaliação da fase em que se encontra. Normalmente não realizamos correções cicatriciais antes de 6 meses de pós-operatório, devido ao intenso processo de evolução pelo qual ela pode passar.

 

09. POSSO ESCOLHER O TAMANHO E FORMA DA PRÓTESE QUE SERÁ UTILIZADA?

O gosto de cada paciente com relação ao tamanho da mama deve ser considerado, no entanto há diferenças quanto à composição e anatomia da mama entre as mulheres, que devem ser consideradas antes da decisão final.

Devemos ter em mente que um aumento exagerado e desproporcional é uma violência contra a natureza e deve ser evitado. O tamanho das próteses deve proporcionar à paciente mamas confortáveis e de acordo com sua altura e tamanho do tórax.

 

10. COMO FICARÃO MINHAS NOVAS MAMAS, EM RELAÇÃO AO TAMANHO E CONSISTÊNCIA?

Através da colocação de próteses mamárias, ocorrerá um aumento do volume, com melhora de sua consistência e forma. A enorme variedade de volumes disponíveis possibilita, durante o período de planejamento da cirurgia, escolhermos um volume que mantenha a harmonia entre as mamas e o tórax

 

11. NO CASO DE NOVA GRAVIDEZ, O RESULTADO PERMANECERÁ OU FICARÁ PREJUDICADO?

Não é possível prever os efeitos de uma gestação sobre as mamas, podendo haver preservação da forma, e em outros casos, queda em graus variáveis. Quanto maior o controle de peso na gravidez, melhor é o grau de preservação do resultado.

 

12. PODEREI AMAMENTAR APÓS A CIRURGIA?

Sim. Não há qualquer impedimento para amamentação, pois geralmente a cirurgia não prejudica a lactação,

 

13. VOU SENTIR DOR APÓS A CIRURGIA?

Normalmente não, mas ocasionalmente poderá ocorrer dor, que na maioria das vezes está associada ao movimento dos braços que costuma regredir com analgésicos comuns.

Alguns pacientes referem uma discreta pressão sobre as mamas quando a paciente se deita ou se levanta, na primeira semana após a cirurgia.

 

14. A POSIÇÃO EM QUE A PRÓTESE É COLOCADA INFLUENCIA NA DOR PÓS-OPERATÓRIA?

Geralmente o paciente sente mais dor quando a prótese é colocada abaixo do músculo peitoral. 

 

15. A QUAL TIPO DE ANESTESIA SEREI SUBMETIDA?

A Anestesia poderá ser geral ou peridural, dependendo do caso. A escolha da técnica empregada será a cargo do anestesista da equipe, de acordo com os critérios científicos rigorosos que cada caso demanda.

 

16. QUANTO TEMPO DURARÁ A MINHA CIRURGIA?

Em média de 2 horas. Durante o ato operatório, poderá ser emitido, periodicamente, boletins sobre a cirurgia e o estado da paciente, caso a família queira.

 

17. QUANTO TEMPO FICAREI INTERNADA?

De 12 a 24 horas, dependendo se a anestesia for peridural ou geral, respectivamente.

 

18. SERÃO UTILIZADOS CURATIVOS E DRENOS NA MINHA CIRURGIA?

Sim. Curativos elásticos e/ou modelantes, especialmente adaptados a cada tipo de mama. São trocados periodicamente pela minha equipe. Os drenos, quando usados, são retirados em média nas primeiras 24-48 horas.

 

19. HÁ PONTOS A SEREM RETIRADOS?

Algumas vezes sim, dependendo do tipo de fio utilizado. Quando necessário, são retirados Entre o 7o. e o 15o. dia pós-operatório, devendo ser rigorosamente realizados pela minha equipe

 

20. QUANDO PODEREI RETORNAR À ACADEMIA ?

Depende do tipo de exercícios e da evolução individual, não existe um período padrão. Exercícios pesados envolvendo os braços devem aguardar 2 meses. Aqueles relativos aos membros inferiores, poderão ser reiniciados após 15 dias, evitando-se o "alto impacto".Levantar os braços, pentear cabelos, dirigir carros com direção hidráulica após 15 dias, desde que não se tenha realizado retirada de excesso de pele.

 

 

21. APÓS QUANTO TEMPO PODEREI TRABALHAR ?

 

O que limita a capacidade de trabalho após uma cirurgia de prótese mamária é a impossibilidade de fazer grandes esforços com o braço. Em qualquer atividade que o paciente for fazer, incluindo o seu trabalho, deve-se evitar levantar os braços acima da cabeça até 15 dias de pós-operatório, podendo fazer pequenos esforços, como, por exemplo, carregar pequenos objetos. Após 15 dias, já é possível elevar o braço acima da cabeça e fazer esforços maiores. Dirigir e fazer esforços um pouco maiores somente após completar 30 dias. Grandes esforços somente estão liberados após 60 dias.

No entanto, estas regras não servem para todas as pacientes. Algumas pacientes apresentam recuperação muito rápida, podendo fazer pequenas tarefas após 3 ou 4 dias. Vai depender velocidade de recuperação de cada uma.

 

22. PORQUE ALGUMAS PESSOAS APRESENTAM ENDURECIMENTO DAS PRÓTESES (CONTRATURA CAPSULAR)?

O silicone na mama faz com que o organismo, em quase todos os casos operados, fabrique uma capa (cápsula) ao redor da prótese, como que a isolando do organismo. Por razões ignoradas, em algumas pessoas, essa cápsula se torna menor do que a prótese, endurecida, dolorosa e com aspecto artificial em maior ou menor grau. Esse processo é chamado pelos médicos de contratura capsular, sendo conhecida popularmente como rejeição. De acordo com a intensidade do quadro pode haver necessidade de substituir a prótese. Hoje, com uma tecnologia mais avançada das próteses e com a presença de componentes que foram integrados à prótese, esta percentagem de contratura capsular é baixíssima.

 

23. QUAL O TRATAMENTO PARA ESTE ENDURECIMENTO?

O tratamento se faz pela troca da prótese, com recolocação da mesma em plano diferentes (em baixo da mama ou do músculo) quando necessário.

Posteriormente, ambos, eu, cirurgião, e você, paciente, poderemos ponderar sobre a conveniência ou não da reintrodução de outras próteses, com um diferente plano de introdução ou outra conduta que melhor se adapte ao caso. A retração da cápsula não reflete um problema cirúrgico ou imperícia do cirurgião, mas sim, um comportamento reacional exacerbado do organismo, devido à presença das próteses de silicone.

 

 

24. APÓS QUANTO TEMPO DE CIRURGIA ATINGE-SE O RESULTADO FINAL?

Apesar do resultado imediato ser muito bom, somente após 12º mês é que as mamas atingirão sua forma definitiva.
Quando há retirada de pele, nos primeiros 3 meses, a mama geralmente fica amassada em seu colo inferior, decorrente da própria técnica operatória, e que com o decorrer da evolução, sofre o processo de báscula, atingindo a forma natural Toda e qualquer preocupação da sua parte deverá ser transmitida à mim que lhe prestarei os esclarecimentos complementares necessários. Um curto período de depressão emocional poderá ocorrer nas primeiras semanas, devido ao aspecto transitório e geralmente advém da ansiedade de se atingir o resultado final.

25. HÁ PERIGO NESTA OPERAÇÃO?

Toda cirurgia tem riscos, inerentes ao ato cirúrgico, mas, por ser uma cirurgia superficial, não envolvendo planos profundos, os riscos são mínimos, ainda mais com um adequado preparo pré-operatório.

 

26. QUAL O TIPO DE MAIÔ DE BANHO QUE PODEREI USAR APÓS A CIRURGIA?

No início, qualquer tipo de maiô, de 1 ou 2 peças, desde que a peça superior não fique muito justa. É claro que, após o amadurecimento das cicatrizes, os maiôs poderão ser mais "generosos" ao seu critério.

 

27. QUANDO PODEREI TOMAR BANHO COMPLETO?

Dependendo do caso, até no dia seguinte à cirurgia. Tudo irá depender da evolução da sua cirurgia, assim como o tipo de curativos, observando-se apenas os cuidados especiais que serão ensinados  pelo seu médico.

 

28. QUAL A EVOLUÇÃO PÓS-OPERATÓRIA?

Você não deve se esquecer dos 12 meses necessários para que se atinja o resultado almejado, e de que normalmente demora 3 meses para diinuir o inchaço. Até lá, toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser transmitida ao seu médico, que lhe dará os esclarecimentos necessários para sua tranqüilidade.

 

malha_protese-crop29. USAREI ALGUM “SOUTIEN” ESPECIAL?

Sim. Existem alguns soutiens que são especiais para o uso no pós-operatório de prótese mamária. Eles dão mais sustentação para as mamas, sem aperta-las muito. São vendidos por representantes ou lojas especializadas.

 

30. O SOL DEVERÁ SER EVITADO?

Por um período de 30 dias, quando as cicatrizes, que são pequenas, poderão ser protegidas.

 

31. É POSSIVEL DETECTAR UM TUMOR EM MAMAS COM IMPLANTES?

 

de mamografia quanto outros exames específicos encontram tumores mesmo em estágios iniciais. O implante de mama não contra indica esses exames assim como não altera os seus resultados.

 

32. EXISTE ALGUM PERIGO COM O SILICONE?

Sob a forma de próteses, ou seja, gel de silicone protegido por um invólucro, acredita-se que não. Com o desenvolvimento tecnológico que ocorreu durante estes últimos anos, os fabricantes vem produzindo próteses mamárias de maior segurança para o uso médico. O silicone que não deve ser utilizado é o líquido injetável que é inclusive proibido de uso pela SBCP e CRM.

 

33. QUE INFLUENCIA TEM O IMPLANTE NO CÂNCER DE MAMA?

 

Grandes estudos já comprovaram que mulheres que têm implantes de mama não são mais suscetíveis a câncer de mama do que mulheres sem implante. Também é comprovado que não há qualquer relação entre o silicone da superfície do implante e o desenvolvimento de câncer.

 

 

34. A INCLUSÃO DE PRÓTESE DE SILICONE NA MAMA IMPEDE O TRATAMENTO COM RADIOTERAPIA?

Nos casos em que houve o tratamento cirúrgico de um tumor e a colocação de prótese para recompor a área retirada, nada impedirá de prosseguir com os tratamentos preconizados para o controle desta patologia. O ideal será começar a radioterapia após um mês, momento em que a cicatrização e o processo inflamatório natural já se encontram em estado avançado e mais seguro.

 

 

35. AS PRÓTESES DE SILICONE COLOCADAS NAS MAMAS PODEM ATRAPALHAR EXAMES COMO A MAMOGRAFIA, RESSONÂNCIA MAGNÉTICA E ULTRASSONOGRAFIA?

De modo geral é importante citar a existência das próteses na hora da marcação e realização do exame. Assim o profissional que o realizar tomará as devidas medidas técnicas para fazê-lo com segurança e evidenciar as eventuais alterações, caso existam. Estes exames evoluíram muito em tecnologia de precisão, auxiliando na elucidação do diagnóstico, independendo da existência ou não de implantes mamários.

 

 

36. O SILICONE PODE PROVOCAR ALGUMA OUTRA DOENÇA?

Se houver ruptura acidental da prótese com extravasamento do seu conteúdo de silicone, pode haver a formação de vacúolos de silicone no tecido em volta, conhecidos como siliconomas e causar processos inflamatórios. Atualmente existem próteses com coberturas mais resistentes e conteúdo de gel coesivo, que mesmo se rompidas não extravasam.

 

37. SE FOR SUBMETIDA A UM GRANDE TRAUMA, A PRÓTESE PODE SE ROMPER?

Como são fabricadas com coberturas muito resistentes, é muito difícil que ocorra uma ruptura traumática da protese. Geralmente estas rupturas estão associadas a traumas de alto impacto, em que lesões a órgãos vitais são o principal foco do tto

 

38. HÁ MODIFICAÇÃO DA SENSIBILIDADE?

Pode ocorrer uma pequena alteração de sensibilidade nos primeiros dois meses ou pouco mais, que desaparece gradualmente

 

 

39. QUANDO TROCAR AS PRÓTESES?

Sempre que os exames preventivos de rotina revelarem alterações como ruptura, extravazamento do conteúdo da prótese, contratura capsular, surgimento de patologia mamária concomitante ou ainda o desejo da própria paciente.

 

 

 

40. HÁ ALGUM IMPEDIMENTO COM RELAÇÃO A IDADE ?

 

Geralmente pacientes acima de 16 anos de idade já podem fazer a cirurgia, desde que a mama já tenha se desenvolvido.

Afinal, tanto as mamas exageradamente grandes como as demasiadamente pequenas constituem problemas psicológicos importantíssimos para uma jovem mulher.

 

41. A QUEDA OU FLACIDEZ DA MAMA PODE SER CORRIGIDA COM PRÓTESE DE SILICONE?

Em alguns casos em que há uma uqeda muito leve, com mínimo excesso de pele, a inclusão de uma pr’;otese de silicone pode corrigir. Porém na maioria dos caos com flacidez de pele há a necessidade da retirada de pele associada à colocação de pr;otese de silicone

 

42. O QUE VEM A SER A PRÓTESE QUE É PREENCHIDA COM SORO?

Trata-se de uma prótese desenvolvida para uso principalmente dos cirurgiões americanos, sendo pouco utilizada no Brasil. Sua utilização nos Estados Unidos ocorreu porque até pouco tempo atrás o uso de silicone em prótese era proibido naquele país.

Após a sua introdução no local definitivo, esta prótese é preenchida com soro fisiológico.

Em comparação com a prótese de silicone, apresenta vária desvantagens, tais como a possibilidade de esvaziar após algum tempo da sua colocação, uma maior ocorrência de ondulações na pele e a sensação de líquido chacoalhando durante a movimentação das mamas.

 

proteses43. QUAL O TIPO DE PRÓTESE MAIS ADEQUADO?

Cada caso é avaliado individualmente. Considera-se pelo desejo da paciente, seus critérios estéticos e de sensualidade, perfil psicológico além da forma das mamas e se há alguma assimetria. Por isso existem próteses de variadas formas e tamanhos para fazer-se a melhor escolha.

 

 

44. QUAIS OS TIPOS DE PRÓTESE DE MAMA EXISTENTES, QUANTO AO SEU CONTEÚDO?

Os tipos de material para preenchimento das próteses de mama mais utilizados no Brasil são:

01. Gel de Silicone em diferentes graus de dureza, o que não interfere na alta coesividade do gel de enchimento;
02.
Solução Salina pré-cheios ou infláveis.
03.Elastômero de Silicone (silicone sólido) moldados ou pré-cheios. Todos os três grupos citados podem apresentar superfícies diferentes tais como: lisa, texturizada ou recoberta com espuma de poliuretano. Não utilizamos as próteses de superfície lisa por apresentarem maior propenção para encapsulamento e retração.

 

 

45. QUAIS OS MODELOS DE PRÓTESES DE MAMA MAIS UTILIZADOS, QUANTO À SUA FORMA?

As próteses podem ser:

01. Redondas:

A. Perfil Alto: proporciona maior projeção e são muito utilizadas naquelas pacientes que têm pouca ou pouquíssima glândula mamária e tórax mais estreito.
B
. Perfil Baixo: utilizada em pacientes que tem glândula mamária a considerar e excesso de pele, dando a mama um aspecto “caído e mucho” e/ou tórax mais largo.

02. Anatômicas (em gota): utilizado nos casos de reconstrução mamária, no qual houve ressecção maior ou menor da glândula mamária.

A escolha do modelo ideal é sempre baseada em exame clínico individual de cada paciente e considerando seu desejo; tudo explicado e conversado com a paciente, sempre feito de comum acordo médico-paciente.Os fabricantes informam de maneira geral que todo implante tem seu número de controle, marca e tamanho gravados, o que torna possível sua identificação a qualquer momento. Após a cirurgia, o registro da prótese colocada fica no prontuário médico do hospital ou clínica onde foi realizada a cirurgia e no prontuário médico do cirurgião. Uma cópia do registro é dada para a paciente e outra fica com o fabricante.

 

 

 

46. O RESULTADO É COMPENSADOR?

 

Se você está ciente do que deseja e o cirurgião puder lhe propiciar aquilo que você pediu, sem dúvida compensa. Entretanto, é importante levar em consideração o fato de que a cirurgia de inclusão de prótese mamária não visa transformar você em outra pessoa. Você continuará com a sua mama, porem com catacterísticas diferentes. O cirurgião plástico apenas melhorará esse território prejudicado pelos defeitos estéticos aí pré-existentes.

(47) 3045.3322 - Av. Cel. Marcos Konder, 1207 - Sala 122 - Centro Empresarial Embraed - Itajaí, SC